DE TUDO UM POUCO 

MLCB©2011/2021-Maria da Luz Fernandes Barata e Carlos Barata 

Portugal 

©do sítio web detudoumpouco ©dos textos, os seus autores ©das imagens, as instituições e os fotógrafos mencionados 

As marcas de água não implicam obrigatóriamente a autoria ou propriedade do elemento apresentado 

LIÇÃO

Prateleiras, muitas prateleiras cheias. De caixas atractivas com os mais variados recheios; jogos, puzzles, bonecos, um sem fim de coisas apetecíveis para uma criança daquela idade.
Teria talvez uns 3 anitos e extasiada com tanta coisa, mirou e remirou o que continham as prateleiras à sua altura, para de seguida retirar uma caixa.
Super contente com o êxito da sua pesquisa, voltou-se para a mãe e mostrou-lhe como se dum facto heróico se tratasse, a razão da sua felicidade.
Durou contudo apenas uns segundos. A mãe, ainda jovem, gritou-lhe rudemente que a voltasse a por no lugar.
A criança ficou a olhar, sem choros, gritos ou birras.
Nessa fracção de tempo, a mãe com alguma violência, tirou-lhe a caixa da mão e atirou-a com mau modo, para a prateleira e prosseguiu o seu caminho pelo corredor do hipermercado, sem se ter apercebido que a caixa não aguentou o impacto e caiu no chão.
Mas também não viu, a delicadeza com que a sua filha, apesar da negação na aquisição daquele bem e da sua tenra idade, pegou na caixa para a arrumar no sítio donde a tinha tirado.
Não sei das razões daquela mãe ou até mesmo se existem razões para proceder daquela forma; sei que a filha lhe deu uma lição de comportamento e respeito e ela não estava a ver.
Eu vi, e aquele ser ainda tão pequeno foi naquele instante o centro de todo o meu respeito.


ML/2006